Carregando…

Os 11 erros na gestão financeira do consultório que estão impedindo o seu crescimento

Vídeo: Participação no programa TV Dental News (projeto de extensão do curso de Odontologia da UFMG) no dia 21 de Novembro de 2016 com o tema Os 11 erros na gestão financeira do consultório que estão impedindo o seu crescimento.

Eu tenho certeza de que você escolheu a sua profissão porque é o que você gosta, é o que você se sente bem fazendo todos os dias. Mas, além de satisfação, sua profissão também tem que te dar retorno financeiro, caso contrário você precisará fazer o que não gosta para sobreviver. E muitos profissionais acabam tendo que aceitar serviços e mesmo clientes, os quais prefeririam não atender, porque precisam do dinheiro.

Mas, e se você pudesse fazer o seu consultório ou clínica ser sustentável fazendo o que você gosta? Um fator essencial no sucesso de qualquer negócio, como é o caso do seu consultório ou clínica, é a gestão financeira. Não é à toa que, em várias pesquisas como do SEBRAE e de diversas faculdades de negócio, a ausência de gestão financeira é citada como razão número 1 para a quebra de um negócio.

Eu quero deixar aqui um alerta, na verdade 11 alertas, de erros que você provavelmente está cometendo na gestão financeira do seu negócio de saúde para que você possa corrigi-los a tempo. Esses erros podem estar te fazendo perder dinheiro, seja diretamente ou indiretamente ao te conduzirem para tomada de decisões equivocadas quando envolvem dinheiro.

Então aqui vão os 11 erros de gestão financeira mais comuns entre os profissionais de saúde e que podem impedir o seu crescimento profissional:

Erro # 1) Confiar no preço calculado por terceiros

Muitos profissionais utilizam tabelas de convênio e tabelas de referências de associações para definirem seus preços. No entanto, quem calculou esses preços se baseou em um padrão de negócio de saúde que pode ser bem diferente do seu. Por exemplo, as tabelas de convênio geralmente são pensadas para clínicas que atendem a um grande público e são eficientes financeiramente. Se o padrão considerado para esses cálculos for diferente do seu, então quer dizer que tem custos diferentes do seus e provavelmente o preço calculado não é adequado para o seu consultório, ou seja, não vai te trazer o resultado que você espera.

Erro # 2) Não saber o custo da sua hora clínica

O mínimo que um profissional precisa saber sobre suas finanças é o custo da sua hora clínica. Essa é a base para calcular o quanto você precisa cobrar em cada tratamento.

 

QUERO A PLANILHA DE CÁLCULO DA HORA CLÍNICA

Erro # 3) Não saber o seu “ponto de equilíbrio”

É muito comum se utilizar a agenda de marcação de consultas como referência para dizer se o consultório está bem. Realmente uma agenda cheia quer dizer muitos clientes. No entanto, você precisa saber também quantas horas por mês de atendimentos (ou quantos clientes) você precisa para pagar as contas, o que é conhecido como “ponto de equilíbrio”. Uma agenda cheia, mas onde o seu ponto de equilíbrio é igual ou muito próximo à quantidade de horas que você tem disponível para atender, significa apenas que você está trabalhando só para pagar as contas.

Erro # 4) Confiar a gestão financeira a terceiros

Você é daqueles que junta todos os recibos e notas fiscais para mandar para o contador no final do mês e não faz nenhum registro porque o contador já vai fazer isso pra você? Então vou te contar um segredo que provavelmente ele não te disse: O contador não faz a gestão financeira do seu consultório! Ele faz os registros fiscais obrigatórios por lei, para que seu consultório esteja dentro da lei, mas geralmente os serviços de contabilidade não oferecem nenhuma das informações que você precisa para tomar boas decisões, necessárias para crescer o seu negócio e conseguir melhores resultados.

Erro # 5) Centralizar em si mesmo todo o controle financeiro

Fazer o controle financeiro é importante sim. Mas, também gasta muito tempo. Tempo que você poderia estar utilizando para fazer seu consultório crescer. Como dono do seu negócio você precisa fazer a gestão financeira, a análise das informações e tomada de decisões. Mas as atividades rotineiras, que consomem tempo, podem e devem ser delegadas.

Erro # 6) Não considerar o imposto

Já vi muitas pessoas fazendo cálculos de preços sem considerar o imposto, ou mesmo calculando o imposto de forma equivocada. Depois ficam achando que pagam imposto de mais. Se o imposto já está calculado no preço de forma correta, então isso não deveria prejudicar as suas finanças. E também, é claro, é preciso fazer o pagamento mensal do seu imposto (obrigatório na maioria das vezes), ou pelo menos guardar mensalmente esse valor para o ajuste anual.

Erro # 7) Não considerar os descontos no preço

Você já ouviu falar na regra que diz que os descontos não devem ser superiores a 10%? É realmente uma boa regra, desde que você tenha considerado isso na hora de definir o seu preço, a chamada “margem de negociação”. Caso contrário, você estará tirando esse valor do seu lucro.

Erro # 8) Não considerar o marketing no preço

Muitos profissionais têm receio de gastar com divulgação e marketing devido aos custos desses serviços. Mas todos precisamos divulgar nossos serviços para conseguir clientes. O correto é ter uma verba mensal para gastar com marketing e divulgação, e isso precisa já estar previsto na hora de calcular o seu preço.

Erro # 9) Não ajustar seu negócio ao preço praticado

Se você atende exclusivamente, ou na maior parte, através de convênios, ou outras formas onde o seu preço não é definido por você, então você precisa ajustar o seu negócio ao preço praticado. Isso é feito utilizando o mesmo cálculo para definir o preço mas, ao invés de utilizar o preço encontrado, é analisado o que você precisa mudar no seu negócio ou forma de atendimento para que os custos se encaixem no preço da tabela que utiliza.

Erro # 10) Não separar o seu dinheiro do dinheiro do consultório

Esse é um erro clássico. Quando não temos uma separação entre o dinheiro particular e o dinheiro do consultório, fica impossível tirar qualquer conclusão sobre os seus resultados financeiros profissionais.

Erro # 11) Não definir metas

“Para quem não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve.” Mas será que qualquer caminho serve mesmo para você? “Crescer”, “ganhar mais dinheiro” ou “ter mais clientes” não são metas, são apenas desejos que todos perseguem. Uma meta precisa ser específica, mensurável, alcançável, tem que ter um prazo e tem que ser relevante para você, algo que vai te fazer acordar todos os dias com o desejo de fazer desse dia um dia melhor que o anterior.

Fazer uma gestão financeira é apenas uma questão de organização, de implementar no seu dia a dia a rotina de ficar atento ao resultado que você está tendo e que quer ter. Esse é o tipo de rotina que leva a uma espiral ascendente de crescimento. Uma gestão financeira adequada evita perdas, economiza tempo e te ajuda focar no que é importante para conseguir resultados ainda melhores.

Se você está cometendo esses erros, eu te convido a fazer parte do projeto “As 6 Etapas da Gestão do Consultório” que tem como objetivo ajudar você a ter uma gestão financeira eficiente do seu consultório ou clínica. Então clique no link abaixo para receber mais informações:

SIM, EU QUERO MELHORAR A MINHA GESTÃO FINANCEIRA

E deixe seu comentário aqui embaixo: Quais desses erros você está cometendo?

Deixe uma resposta